A Prefeitura de São Sebastião, por meio da Fundação Educacional e Cultural “Deodato Sant’Anna” (Fundass), em parceria com o Arquivo Histórico Municipal e a Paróquia de São Sebastião, realiza, no largo em frente à igreja, a exposição em celebração dos 20 anos de restauro da Igreja Matriz.

A mostra visa valorizar e marcar a preservação cultural e religiosa desse grandioso patrimônio histórico, com diversas fotos de todo o processo de restauração do templo.

Localizada no Centro Histórico do município, a Igreja Matriz é um marco na história do povo caiçara, sendo um importante símbolo de religiosidade e desenvolvimento da cidade.

Construída entre 1606 e 1630, a Igreja foi erguida com pedra, cal de conchas e óleo de baleia, em estilo jesuítico com composições renascentistas, moderadas e regulares, imbuídas do espírito severo da Contrarreforma. O frontão reto, triangular, mostra a transição entre o Renascimento e o Barroco, e a capela-mor – mais estreita – é o modelo mais comum no Brasil colonial.

Traz em seu interior imagens dos santos de devoção popular e, de modo especial, a imagem de São Sebastião, que dá origem ao nome da cidade e que por mais de 400 anos sai de seu interior pra abençoar a cidade, todo dia 20 de janeiro.

Entre 1998 e 2000, o templo correu o risco de ruir, sendo totalmente restaurado em 2001. Durante a reforma, foram encontradas imagens de barro cozido emparedadas, imagem de Santa Luzia, São Brás, Nossa Senhora com menino e Santo Antônio, descobrindo um valioso patrimônio de arte sacra da região. As imagens integram a exposição e podem ser conferidas no interior da igreja.

Também foram encontrados fragmentos de um Cristo crucificado e de uma imagem de São Sebastião. Atualmente, essas imagens sacras encontram-se na Capela de São Gonçalo, onde funciona o Museu de Arte Sacra.

 

#PraTodosVerem: imagens da exposição montada no largo em frente à Igreja Matriz, no Centro Histórico de São Sebastião. Fim da descrição.